Quando falta inspiração 4: Colmeia Azul

Escrito por -
0 Flares Facebook 0 Twitter 0 Pin It Share 0 Google+ 0 0 Flares ×

Após conversar com o Bartolomel sobre inspiração… bzz… e encontrar as árvores caídas, cheguei até a beira de um riacho. Lá, conheci a Melody… bz… uma Liebee azul que acaba de me salvar de uma grande tempestade.

Entenda minha conversa com o Bartolomel aqui: Quando Falta Inspiração

Entenda meu encontro com as árvores caídas: Quando Falta Inspiração 2: Árvores e Pedras

Entenda como conheci a Melody: Quando Falta Inspiração 3: Liebee Azul

 Você me salvou! – estava assustado, mas estava escondendo isso – Muito obrigado, Melody.

 Não tem dê que, Mahatmel. Viu como você não deveria ter duvidado de mim? Eu sou esperta! – a Liebee mais confiante que eu já conheci – Bem vindo a minha colmeia. O que achou?

 Diferente! Muito diferente e bonita também.

A colmeia das Liebees azuis era muito bonita… bzz, realmente. Ainda mais alta que outras colmeias que já havia visto… bz… com favos de paredes mais arredondadas, algo quase desordenado, mas com uma beleza que emergia do caos planejado… bbz. E claro, cheia de Liebees azuis.

 Vem! Vou te mostrar meu favo, é só me seguir. – mais um voo rápido, essa Liebee me salvou da tempestade, mas ainda me mata sem fôlego.

Durante o caminho, continuei reparando na colmeia… bzz… tanta coisa diferente, cheia de caminhos e construções grandiosas. É claro que as Liebees azuis também reparavam em mim…bz, algumas com curiosidade, outras com espanto. Com certeza nunca haviam visto uma Liebee amarela. Após fazer uma curva rápida, Melody entrou em um favo e eu a segui… bbzz.

 Então é aqui que você mora? Que favo mais decorado. Belos quadros!

 Você gostou? Eu pintei alguns deles. Esse aqui, por exemplo, é do riacho onde nos conhecemos. Até que ficou parecido. – ela apontava e falava, contando sobre cada um deles.

Após um tour rápido, nos sentamos… bzz… e ela logo me serviu um copo de mel.

 Você é pintora então?

 Ah não, não tenho muito talento pra isso, mas gosto de tentar, me arriscar quando tenho vontade. Eu sou musiciana.

 Musiciana?

 Sim! Vocês não tem isso na colmeia? Que chato! Espera, eu vou te mostrar como é. – rapidamente ela se levantou e voou para o quarto.

Enquanto isso, continuei olhando para os quadros… bz, pensando no riacho e nessa Liebee azul, seu jeito era tão diferente de tudo que já conheci… bzzz… um contraponto a toda a calma do Mosteiro Favo de Mel.

 Voltei! Vou te mostrar. – ela estava com um violão na mão e sentou-se ao meu lado.

Melody começou a tocar e cantar… bzz, uma das mais belas canções que eu já escutei, falando sobre amor, um casal e uma vida doce… bz. Enquanto isso, ela sorria e me olhava nos olhos.

 Que canção linda! Adorei, a melodia, a canção, sua voz cantando. Um grande talento.

 Obrigado, Mahatmel! Gostou mesmo? Não acredito que vocês não tem isso na sua colmeia.

 Não, nós temos! Mas chamamos de músicos, não essa palavra que você falou. – eu tentava lembrar do termo.

 Musiciana. Quem é que não sabe de palavras agora, hein? – ela cutucava e brincava comigo – Você sabe tocar?

 Não, não tenho talento pra isso.

 Bobagem, é fácil, vem cá! – cheguei mais perto – Pega o violão, agora põem sua mão aqui, a outra fica ali, no final, no braço. Isso, agora tenta!

O som saia estranho, meio ruim para as antenas.

 Não, você tá fazendo errado! Essa mão tem que ficar mais firme, mais forte! – ela pegava na minha mão, ensinando.

Eu tentei e a melhora foi considerável… bzz, o som já estava com mais harmonia.

 Acho que melhorou!

 Está muito melhor, vou cantar. – ela se levantou do sofá, parou na minha frente e me olhando, começou a cantar.

Não sei bem o que aconteceu no meio da canção… bbz. Toda a atmosfera da música e a bela voz de Melody me envolveram no momento… bz. E uma nova inspiração veio. Tomado por essa inspiração, me levantei, larguei o violão e em um bater de asas estava na frente daquela Liebee azul… bz… em um grande beijo! Ela retribuiu meu beijo de forma amorosa.

 Desculpe-me por isso, eu não esperava, não sei o que aconteceu! – apesar das desculpas, não havia arrependimento em mim.

 Eu adorei! – ela falou isso e me beijou de novo. Com muito amor – Acho que você também está melhorando nisso, Mahatmel.

Após o dia juntos, conversando e aproveitando a companhia um do outro… bzz, a Melody me contou de uma pequena reunião de alguns amigos e me convidou para participar. Eu aceitei e voamos para lá… bz!

Durante o voo, percorremos partes incríveis daquela colmeia azul… bbz. Eu já estava me acostumando com a arquitetura diferente e toda a grandiosidade dos favos…bzz… era preciso ser ágil nas asas para percorrer tudo sem dar de cara com algum muro. Ao fundo, percebia uma luz amarela, destacando uma construção mais alta.

 Melody, o que é aquilo, ao fundo? – apontei para as luzes amarelas.

 É para onde estamos indo, acho que você vai gostar! Espero que goste. – ela sorriu de novo – Vai ser divertido.

 Mas o que tem lá? – minha curiosidade estava alimentada de muito mel.

 Calma, teimoso! Pode confiar em mim. – aquela Liebee azul havia ganhado meu afeto e carinho de uma forma única, e como já aconselhei algumas vezes, afeto também tem confiança.

Conforme nos aproximávamos, pude ver melhor a construção… bzzz, parecia inacabada, mas era extremamente colorida e bonita. Acho que o lugar mais bonito que já vi… bz. Percebi outras Liebees rumando para lá também, algumas muito maiores que eu, com roupas estranhas e carregando coisas… bzz… em grande mochilas.

Chegando ao local, Melody começou a me apresentar. Lembrei que no nosso encontro no rio… bzz… ela me cumprimentou com um balançar de asas… bz, repeti esse gesto com as Liebees que fui conhecendo, me senti menos deslocado, mesmo sendo o único amarelo.

Conforme percorríamos o local, presenciei muita música, pinturas, esculturas… bzz. Algumas em andamento, outras frescas e recém criadas. Parei junto a um grupo de Liebees… bbz… e escutei poesias, profundas e cheias de mel, as vezes intercortadas por músicas inspiradoras… bz. Já havia perdido Melody de vista, mas um ambiente como aquele era envolvente, cheio de criatividade.

Passado um tempo, Melody me encontrou e sem falar nada… bzz, me deu um beijo de surpresa, me pegou pela mão e puxou, voando para o alto!

 Você tem que experimentar isso, está uma delícia. – ela me mostrou um prato diferente, uma mistura de mel e folhas que não me pareceu apetitosa e acho que ela viu pela minha cara – Não faz essa cara, experimenta.

 Não fiz cara nenhuma, parece delicioso mesmo. – não parecia delicioso.

 Você é um péssimo mentiroso, fico feliz com isso. – ela riu e aproximou o prato de mim.

Eu peguei aquilo em mãos e levei até a minha boca. Confesso que estranhei o gosto… bz, mas achei delicioso mesmo.

 É realmente uma delícia, Melody!

 Eu disse! Agora vem, vamos tirar a poeira dessas asas, dança comigo. – eu não sabia dançar, mas antes que falasse, ela me puxou.

Voamos ainda mais alto e no local muita música tocava e Liebees dançavam.

 Eu não sei dançar e essa parece muito diferente das que já assisti.

 Fica tranquilo! Eu não tenho medo de levar um pisão no pé.

 Vamos ver então, quantos você consegue levar. – eu sorri para ela e voei para o meio do salão, puxando a Melody comigo.

No começo, ela teve que me ensinar uns passos… bbz, uma dança diferente e agitada, eu estava bem desengonçado! Mas depois, a música me tomou, trouxe inspiração e meus pés e asas já seguiam o ritmo… bz.

 Olha você, Mahatmel! Essa foi uma boa surpresa, você dança muito bem.

 Confesso que também estou surpreso. – eu ri e ela me acompanhou – Um talento novo para mim! É tão fácil, só seguir a música.

Após muito tempo de dança, começaram as canções mais lentas… bzz… e continuamos ali, agora dançando juntos.

 Está gostando, de tudo o que vê aqui?

 Muito! Esse lugar tem tantas coisas incríveis: arte, música e tem você, obrigado por me apresentar tudo isso. – eu estava realmente grato. Tanto que me aproximei mais uma vez dela e a beijei.

 Mal posso esperar para amanhã, depois de amanhã, tenho tanta coisa legal por aqui para te mostrar, tantas coisas da minha colmeia. – seus olhos realmente me olhavam de forma profunda, esperando uma resposta.

Mas eu fiquei em silêncio… bzz, dançamos mais algumas músicas e Melody me falou que queria dar uma volta… bz. Procuramos um lugar, com vista para o lado de fora da colmeia e nos sentamos, as estrelas… bzzz… e a lua apareciam e a brisa quente estava especialmente mais gostosa.

 Você vai voltar para a sua colmeia? – Melody me perguntou.

 Em breve! Preciso voltar. – não era o que eu queria, não em meu coração.

 Mas por que? Você não gostou daqui?

 Sabe, eu tenho uma missão com minha colmeia, com as Liebees de quem cuido. Eu sai nessa jornada por elas e por mais que meu desejo seja ficar com você, eu preciso voltar! – ela botou a cabeça em meu ombro e me abraçou.

 Acho que não demos sorte então, uma pena você ter que voltar.

 Demos muita sorte! A maior de todas. – falei aquilo enquanto fazia carinhos nas asas dela – Liebees procuram por sentimentos assim durante toda a vida, esse carinho! Encontrar você foi a maior de todas as sortes que eu poderia ter. – a brisa balançava nossas asas – Muita sorte!

 Você é realmente teimoso, Mahatmel. – ela sorriu e me deu um beijo, o melhor de todos.

E ali, me senti preenchido de inspiração, um sentimento indescritível… bzz! Parecia que era aquilo que eu estava procurando em minha jornada. A Melody, seu sorriso, sua voz, sua canção, tudo havia me polinizado… bz. Aquela Liebee que não conhecia a palavra inspiração me contagiou com a maior inspiração de todas. Preenchido como nunca!

Não havia muito a ser dito, só ficamos juntos… bzz… olhando as estrelas e ouvindo o silêncio da noite. Até que retornamos ao favo para descansar.

 Mahatmel, acorde! Parece que alguém estava precisando dormir. Eu trouxe mel, café da manhã. – o dia já havia nascido.

 Obrigado, Melody! Você é incrível, Liebee azul.

 É, eu sei. – ela riu, a melhor risada de todas – Eu separei dois potes de mel. Sua viagem é longa e aposto que você não tem o suficiente. Também tenho um presente para você, quase esqueci!

O quadro do rio onde nos conhecemos, que ela mesma pintou… bzz!

 Quero que você leve isso! O rio é pertinho daqui, mas deve ser longe para você.

 Eu adorei o presente. – novamente dei um beijo na Liebee azul. – Gosto tanto de você, de verdade!

 Também gosto de você, Mahatmel. Agora vamos, te acompanho até a saída da colmeia. Hoje não vai chover, pode voar tranquilo.

Melody me levou até a saída, nos despedimos e eu parti na minha viagem de volta… bzz, carregando algumas coisas daquela jornada: dois potes de mel, um quadro, um sentimento novo, inspiração de sobra e a sensação de ser a Liebee mais sortuda do mundo, por ter encontrado quem encontrei… bbz. E quem sabe não reencontro? O futuro pode reservar essa surpresa.

 

O Mundo Beelieve é uma marca que une ilustração e mensagens positivas. Por meio disso, buscamos passar motivação para boas atitudes.

Mahatmel Favo
Mahatmel Favo

Anos de meditação me mostraram a real polinização. No mosteiro favo de mel ensino as outras Liebees a polinizar o mundo, nem sempre elas entendem, mas isso não me impede de polinizar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *